3º escândalo do ‘novo’ Governo de Amazonino Mendes, 100{9028a083913d3589f23731fda815f82dd580307fd08b763e2905f04954bd625c} nepotismo

Mônica vai ser presidente de honra do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), que tem R$ 20,2 milhões de orçamento anual. Já o marido dela, Osvaldo Said, vai administrar R$ 590,2 milhões.

O governador Amazonino Mendes nomeou a sobrinha Marilena Mônica Mendes Perez e o marido dela, Osvaldo Said Junior, para compor o primeiro escalão de secretários do Estado. As nomeações constam no Diário Oficial do Estado (DOE) de ontem (4). Juntos vão comandar um orçamento de R$ 610,4 milhões.

 Mônica vai ser presidente de honra do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), que tem R$ 20,2 milhões de orçamento anual. Já o marido dela, Osvaldo Said, vai administrar  R$ 590,2 milhões. Os valores estão na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2017.
 Embora nomeação de parentes conflite com o artigo 37 da Constituição Federal, ao ferir os “princípios da moralidade e da impessoalidade”, a Súmula Vinculante nº 13 do STF (que veda o nepotismo) não se aplica aos cargos de natureza política, como os cargos de secretários, questionados na ação.
Com conteúdo do Portal Fiscaliza Manaus 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui