Além de proteger assassino, Arthur Neto protege esposa de investigação de suposta lavagem de dinheiro

Casal colecionador de escândalo; Eleisabeth Valeiko e Arthur Neto  

Manaus – Am: O prefeito de Manaus Arthur Neto (PSDB) postou em suas redes sociais um vídeo falando sobre o que ele definiu como “torpe ataque” a ele e família.

“A cada dia preparam novos atos de um plano ardiloso e nefasto que visam me abalar familiar e politicamente”, disse o prefeito.

Arthur atribuiu ainda as denúncias de suposta lavagem de dinheiro de sua esposa e pessoas próximas a ela as eleições.

Nesta quinta-feira (10), O Blog do Pávulo revelou documentos de uma investigação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) em conjunto com Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (GAECO), denominada Operação Héstia, que foi misteriosamente brecada pela procuradora-geral do Ministério Público do Amazonas,

Segundo a reportagem, a casa lotérica Las Vegas de propriedade em 99% do genro de Eliabeth Valeiko, Igor Gomes Ferreira, seria usada para supostamente lavar dinheiro advindo de corrupção. As informações são das investigações que foram encerradas em dezembro do ano passado.

Além disso, a reportagem mostra também que o promotor do caso, Cláudio Tanajura foi afastado das investigações e o delegado Sinval Barroso do DRCO à época, além de ser afastado, foi exonerado do cargo.

Não é a primeira vez que o prefeito de Manaus Arthur Neto defende ilícitos, no Caso Flávio, o prefeito escreveu longo texto defendendo o enteado, Alejandro Valeiko, inventando uma história de invasão no condomínio que estavam, que foi desmentida pelo próprio condomínio. Após isso, Arthur e Elisabeth falaram que a prisão de Alejandro foi um ato político, e não por envolvimento em um homicídio.

O prefeito fala sobre ataques a sua família, mas não cita os documentos das investigações que vieram a público. Arthur também não fala sobre a nomeação do irmão da procuradora-geral Leda Mara Albuquerque na Casa Civil, Luiz Mauro Nascimento Alburqueque.

Contra fatos não há argumentos, contra provas não há inocentes.