Após fala de Guedes, embaixador diz que China fornece 95% das vacinas do Brasil

Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estam na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, rebateu as falas do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que os chineses teriam “inventado o vírus” da covid-19. O representante máximo do governo chinês no país lembrou, em sua rede social, que a China ainda é o principal fornecedor de vacinas e insumos de imunizantes ao Brasil.

A mensagem do embaixador chinês veio horas depois da fala de Paulo Guedes. Em uma reunião do Conselho de Saúde Suplementar, Guedes buscou elencar desvantagens dos orientais em relação aos Estados Unidos.”O chinês inventou o vírus, e a vacina dele é menos efetiva do que a americana”, provocou Guedes. “O americano tem 100 anos de investimento em pesquisa”.

A fala de Paulo Guedes entrou para uma coleção de declarações de membros do gabinete de Jair Bolsonaro sobre a atuação chinesa durante a pandemia. Bolsonaro pessoalmente já criticou a vacina sino-brasileira Coronavac, que hoje é a responsável por cinco a cada seis doses aplicadas no Brasil. Ex-ministros de Bolsonaro, como Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Abraham Weintraub (Educação) já se manifestaram de maneira a tentar associar o vírus ao país,