Ceni vai para o Flamengo e terá que lidar com “heranças”

O Flamengo recuou algumas casas na temporada, ao se ver como estava há 100 dias: à procura de um treinador. Mas agiu rápido no mercado ao priorizar o cenário nacional.

A aposta em Domènec Torrent não foi satisfatória e findada na última segunda-feira, após 26 jogos – e 64% de aproveitamento – do catalão à frente da equipe rubro-negra. O LANCE! destaca as principais heranças deixadas pelo trabalho, nos quesitos positivos e negativos.

E é Rogério Ceni o nome escolhido. O técnico, inclusive, já teve a sua saída do Fortaleza oficializada e chega ao Rio junto aos auxiliares Charles Hembert e Nelson Simões e o preparador físico Danilo Augusto. Ceni terá uma equipe que terá como prioridade encontrar um equilíbrio e ajustar o sistema defensivo.

Com Dome, foram oito duplas distintas no setor, 11 jogos consecutivos sem repeti-las e 29 gols sofridos no Brasileirão, o que deixa o Flamengo com a segunda pior defesa da competição. E a mobilização interna por Ceni passou por este aspecto, uma vez que o Fortaleza ostenta a zaga menos vazada do Nacional: em 18 jogos, o Leão do Pici, 11º colocado, só levou 14 gols.

Torrent deixou o Fla após 99 dias (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Torrent deixou o Fla após 99 dias (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Foto: LANCE!

Além da missão de afinar o frágil sistema defensivo do Flamengo e enfim entrosar uma dupla, Ceni também terá que atuar no âmbito psicológico. Isso porque, Gustavo Henrique e Léo Pereira, por exemplo, não contam com a confiança da torcida e, constantemente, têm falhado. O fator anímico de ambos será fundamental para encorpar o time visando a sequência da temporada.

E O DESTAQUE POSITIVO?

Quanto a algo positivo a ser herdado, o principal está na utilização da base. Ao todo, Domènec Torrent utilizou 17 Garotos do Ninho (veja todos aqui). Este foi um recurso que o catalão havia anunciado que exploraria ainda em sua apresentação, em agosto. E cumpriu.

É bem verdade que o surto de Covid-19 e constantes desfalques por lesão ou convocação contribuíram para o significativo aproveitamento da base, mas Dome permitiu que jovens fossem protagonistas, sem titubear nas escalações. O goleiro Hugo Souza, os zagueiros Gabriel Noga e Natan, o lateral-esquerdo Ramon e o volante João Gomes, principalmente, estão aí para provar que o elenco ganhou em arsenal para a temporada. É o principal legado favorável.

MAURICINHO COMO INTERINO. OU NÃO

Ainda nesta manhã, o Flamengo se reunirá presencialmente com Ceni, no Rio, para assinar com o técnico um vínculo até dezembro de 2021 – quando encerrará a gestão de Rodolfo Landim. Na última segunda-feira, o clube havia anunciado que Maurício Souza, do time sub-20, comandaria o treino desta terça, visando o jogo desta quarta-feira, diante do São Paulo, no Maracanã e pela ida das quartas da Copa do Brasil.

Contudo, o personagem à beira do campo pode mudar caso Ceni seja regularizado a tempo para enfrentar o clube onde foi ídolo como goleiro.

Em tempo: a diretoria rubro-negra, independente das heranças deixadas por Dome, celebrou a rapidez do negócio sacramentado com Rogério Ceni, que, em ocasiões anteriores, tinha se mostrado irredutível quanto a deixar o Fortaleza antes do fim do Brasileiro.