Detido prefeito de Riace, exemplo de acolhida de migrantes na Itália

0
98

Autoridades judiciais de Locri (sul da Itália) anunciaram, nesta terça-feira (2), a prisão domiciliar de Domenico Lucano, prefeito de Riace, localidade pioneira na recepção de refugiados na Itália.

Acusado de favorecer a imigração ilegal, Lucano acolheu em sua cidade dezenas de imigrantes e revitalizou a economia local.

Ele também é investigado por irregularidades na concessão dos contratos de serviço de coleta de lixo.

Segue o Blog do Pávulo no Facebook   Twitter  Instagram

França apoia iniciativa que pede ao TPI investigação de crimes contra a humanidade na Venezuela

Premiado em 2010 como o terceiro “melhor prefeito do mundo”, Lucano figurava em 2016 entre as 100 pessoas mais influentes do mundo, segundo a revista “Fortune”. Inspirou um documentário de Wim Wenders e um filme para televisão que será transmitido em fevereiro na Itália.

Lucano foi acusado de ter organizado casamentos de conveniência entre moradores da localidade de Riace e mulheres estrangeiras para que pudessem obter visto de permanência.

Segundo o comunicado da Procuradoria, que cita trechos de conversas telefônicas, Lucano agia sabendo que violava a legislação em vigor, que chamou de “estúpida”.

“Vou lhe dar uma carteira de identidade, mas, com isso, violo a lei, porque deveria ter um visto de residência válido”, explicava ele a uma mulher estrangeira em uma conversa gravada pelos investigadores, completou a Procuradoria.

Em outra conversa, ele sugere a uma nigeriana um casamento arranjado.

“Acho que é a única possibilidade… Que você se case, como fez a Stella… Ela se casou com Nazareno. Sou eu que faço os casamentos no civil”, afirma.

Lucano adotou um modelo original de acolhida para os migrantes, com o objetivo de voltar a povoar a localidade calabresa com apenas 1.800 habitantes.

Desde então, dezenas de afegãos, eritreus e iraquianos foram viver nessa localidade e reformaram a parte antiga. O turismo voltou, graças aos ateliês de artesanato, lojas e restaurantes.

Vários setores denunciaram a “campanha de criminalização” na Itália contra pessoas e organizações que defendem os direitos dos migrantes.

Duas ONGs que resgatavam imigrantes no mar – a Proactiva Open Arms e a Jugend Rettet – viram seus navios serem apreendidos sob a acusação de “favorecer a imigração ilegal”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here