Eleições 2022: Bolsonaro segue favorito, mas Ciro e Huck se tornam ameaça real em pesquisa

Brazilian President Jair Bolsonaro gestures as he speaks to the press after voting during the second round of municipal elections at the Rosa da Fonseca Municipal School, in the Military Village, Rio de Janeiro, Brazil, on November 29, 2020. - Brazilians go to the polls Sunday to chose mayors in 57 cities, including Sao Paulo and Rio de Janeiro, the most rich and populated, in a runoff marked by the economic crisis and an upsurge of the new coronavirus. (Photo by Andre Coelho / AFP) (Photo by ANDRE COELHO/AFP via Getty Images)

Pesquisa de opinião do projeto Exame/Ideia, divulgada nesta sexta-feira (4) pela revista Exame, mostra que Jair Bolsonaro (sem partido) seria reeleito presidente em 2022 em todos os cenários.

Bolsonaro lidera a corrida presidencial com 28% das intenções de voto na pesquisa estimulada, quando uma lista de possíveis candidatos é apresentada ao entrevistado. Lula (PT) aparece com 16%; Sergio Moro, com 10%; Ciro Gomes (PDT), 7%; Luciano Huck e João Doria (PSDB), 4%.

Na pesquisa realizada entre os dias 30 de novembro e 3 de dezembro, foram ouvidas 1.200 pessoas. A margem de erro é de três ponto percentuais para mais ou para menos.

Em uma simulação de segundo turno, quem teria mais chances de rivalizar com Bolsonaro seria Ciro Gomes, que aparece com 36% e Bolsonaro com 37% das intenções de voto, o que, pela margem de erro, representa um empate técnico. Ciro vence Bolsonaro entre os mais jovens (43% a 34%) e na região Nordeste (46% a 30%).

Luciano Huck também é outro candidato que se mostra competitivo em um segundo turno. O apresentador aparece com 32% das intenções de voto e o presidente com 36%, também tecnicamente empatados pela margem de erro.

Na simulação entre Bolsonaro e Lula, o atual presidente é preferido por 37% enquanto que o petista é citado por 32% dos entrevistados.

Já em um eventual segundo turno contra Moro, Bolsonaro teria, segundo a pesquisa, 44% dos votos, contra 29% do ex-ministro.

REJEIÇÃO

A maior rejeição é do ex-presidente Lula. Questionados em qual candidato não votariam de jeito nenhum, 43% responderam que não votariam no presidente Jair Bolsonaro, e 44% não votariam em Lula. João Doria é rejeitado por 25% dos entrevistados, Luciano Huck, 23%, Marina Silva, 20%, Ciro Gomes, 17%, e Sergio Moro, 16%.