Número de mortos no incêndio do Hospital Badim passa de 10

Rio – O número de mortos no incêndio do Hospital Badin chegou a 11, durante a madrugada desta sexta-feira. Até então, com os trabalhos iniciais na unidade de saúde que fica no Maracanã, na Zona Norte do Rio, apenas uma morte estava confirmada. Os corpos das vítimas fatais foram levados ao Instituto Médico Legal (IML), em São Cristóvão, e ainda não há informações sobre a identificação delas.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, quatro militares da secretaria precisaram ser socorridos no Hospital Central Aristarcho Pessoa, no Rio Comprido. O trabalho de outros bombeiros no local continuam nesta manhã. Eles fazem o rescaldo da estrutura e, até por volta das 7h, ainda faziam a varredura no prédio, procurando por possíveis novas vítimas.
A direção do Hospital Badim disponibilizou um número de WhatsApp e um e-mail para que os familiares dos pacientes que estavam internados na unidade busquem por informações; são eles:
. (21) 97101-3961

. [email protected]

Várias ambulâncias deram apoio no resgate das vítimas – Gilvan de Souza / Agência O Dia
De acordo com a unidade particular, no momento do incêndio, havia 103 pessoas internadas. Cerca de 90 foram transferidas para diversos hospitais públicos e particulares da região; confira alguns deles:
. Hospital Israelita Albert Sabin (Maracanã)
. Hospital São Vicente de Paula (Tijuca)
. Hospital Municipal Souza Aguiar (Centro)
. Hospital Copa D’Or (Copacabana)
. Hospital Quinta D’Or (São Cristóvão)
. Hospital Norte D’Or (Cascadura)

. Hospital Caxias D’Or (Duque de Caxias)

Incêndio aconteceu na noite desta quinta – Gilvan de Souza / Agência O Dia
CURTO CIRCUITO
O incêndio no hospital, que faz parte da Rede D’Or São Luiz, começou por volta das 17h30 e, de acordo com a unidade, foi causado por causa de um curto circuito no gerador do prédio 1 do hospital, que fica no subsolo do imóvel. A fumaça rapidamente se espalhou pelos outros andares. As chamas foram totalmente controladas por volta das 21h30.
Agentes de quatro quartéis (Vila Isabel, Tijuca, Méier, Central) do Corpo de Bombeiros participaram do combate ao incêndio e socorro às vítimas. Eles contaram com o apoio dos grupamentos de Busca e Salvamento (GBS-Barra) e Técnico de Suprimento de Água para Incêndio (GTSAI).

Dez ambulâncias do Corpo de Bombeiros ficaram à disposição para a remoção das vítimas. O transporte dos pacientes também foi feito com veículos de diversas outras instituições.

Colchonetes foram colocados no meio da rua para receber os primeiros resgatados – Celso Pupo/Foto Arena/Estadão Conteúdo
Houve muita correria e tensão durante o resgate. Funcionários do hospital colocaram Colchonetes no meio da rua na frente da unidade para os primeiros pacientes que foram retirados do prédio. Dois prédios e uma creche da região abriram as portas para recebê-los antes da chegada das ambulâncias.
No início desta manhã, a direção do hospital informou que continuava acompanhando o trabalho do Corpo de Bombeiros no local. Eles disseram ainda que vão se pronunciar após a inspeção do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil no prédio atingido pelo incêndio.

“Os familiares dos pacientes e funcionários envolvidos no episódio receberam atendimento pelo comitê de apoio do hospital, inclusive de uma assistente social. Todas as providências estão sendo tomadas para acolher as famílias”, a assessoria do Hospital Badim avisou.

Bombeiros socorrem paciente – Gilvan de Souza / Agencia O Dia