Prejuízo da Afeam cita rombo de R$ 20 milhões com Transexpert

Agência perdeu R$ 20 mi em empresa de segurança do Rio de Janeiro. Foto: Reprodução

Brasília – A Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) investiu R$ 20 milhões no Fundo de Investimento em Participações Expert Valores (FIP-Expert) e lançou prejuízo de R$ 26,6 milhões como provisionamento para cobrir o rombo, conforme o balanço contábil de 2016, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) de segunda-feira. Com o calote no fundo, o lucro de R$ 4,3 milhões das operações do primeiro semestre evaporou e exigiu até aporte de outros créditos de compensação que reduziu o prejuízo líquido de R$ 20,9 milhões, para o rombo de R$ 17,8 milhões no fechamento das contas do ano, contra um lucro de R$ 9,7 milhões, em 2015.

O balancete da Afeam foi auditado pela AudiLink & Cia. Auditores , que apontou o tombo causado pela aquisição de 20 milhões de cotas do FIP Expert e cita o provisionamento, o recursos para cobrir prejuízo consolidado, informado pelo Banco BNY Mellon, administrador do fundo, no dia 28 de outubro do ano passado, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a instituição xerife da Bolsa de Valores.

“Em vista disso, no segundo semestre de 2016, a Afeam procedeu ao registro desse valor na Conta de Provisão para Desvalorização de Títulos, atualizado até  dezembro de 2016, que equivale ao montante de R$ 26.614.000”, diz o texto do balanço da agência.

O fundo controlado pela  Transexpert Vigilância e Transporte de Valores S.A. (Transexpert) teve o registro cancelado em definitivo pela Coordenação de Controle de Segurança Privada da Polícia Federal (PF). Os aplicadores, entre eles, a  Afeam, ficaram com ações de uma empresa de segurança proibida de operar no mercado, sem poder gerar receita com passivos trabalhistas e junto aos seus fornecedores.

Os recursos da Afeam são mantidos pelo Fundo de Apoio à Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES), cujo balanço de 2016 também foi publicado no DOE. A Afeam é o agente financeiro do FMPES, mantido pelo recolhimento de tributos das empresas, que registrou saldo de R$ 176,1 milhões, no ano passado e recebe comissão de 4{9028a083913d3589f23731fda815f82dd580307fd08b763e2905f04954bd625c} ao ano.

Segundo o relatório, a aplicação de recursos do  FMPES nas operações de crédito executadas pela Afeam caíram 44{9028a083913d3589f23731fda815f82dd580307fd08b763e2905f04954bd625c}, no ano passado, cujo montante totalizou R$ 65 milhões. Em 2015, o volume atingiu  R$ 116,8 milhões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui