Rio de Janeiro: Edmar Santos é dono dos R$ 8,5 milhões apreendidos em operação, diz testemunha

Agentes terminaram de contar o dinheiro só na madrugada deste sábado - Divulgação / MPRJ

Ex-secretário estadual é apontado como chefe de organização que desviou dinheiro dos cofres públicos, segundo MPRJ

Rio – O dinheiro apreendido durante um desdobramento da Operação Mercadores do Caos, que levou a prisão de Edmar Santos, pertence ao ex-secretário estadual de Saúde. A informação foi divulgada pelo RJ2, da TV Globo, nesta segunda-feira.

Edmar Santos foi preso no dia 10 de julho na operação do Ministério Público (MPRJ) apontado como chefe de uma organização criminosa que desviou dinheiro dos cofres públicos do estado durante a pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, a instituição apreendeu R$ 8,5 milhões em endereços ligados ao ex-secretário estadual. Desse total, cerca de 7 milhões estavam em reais e o restante em dólares americanos, euros e libras esterlinas.
Segundo o RJ2, um morador do edifício do ex-secretário, na Rua Dezenove de Fevereiro, em Botafogo, Zona Sul do Rio, colaborou com as investigações e disse onde estava o dinheiro que pertencia a Edmar. Ele passou as informações ao MPRJ.
Ainda de acordo com a reportagem, a operação foi antecipada porque o vizinho avisou ao órgão que Edmar queria de volta parte do dinheiro, que estava com ele.
Edmar deixa presídio
Edmar Santos deixou, na noite da última quinta-feira, a Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niterói, na Região Metropolitana, onde estava preso desde o mês passado, após a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que mandou soltar o ex-secretário de Saúde.