Terceiro suspeito de matar sargento da PM se entrega à polícia em Manaus

Um terceiro suspeito de envolvimento na morte de um sargento da Polícia Militar – que estava foragido – se entregou à polícia em Manaus na manhã desta segunda-feira (24).

Pávulo no Facebook   Twitter  Instagram

Festival de Parintins: Garantido abre e Caprichoso fecha a festa no Bumbódromo

Charles Sanches Moraes compareceu à Delegacia de Homicídio acompanhado por um advogado. Outros dois envolvidos no latrocínio estão presos pelo crime e dois são procurados.

Moraes, junto a dois outros envolvidos no crime, recebeu liberdade provisória após audiência de Custódia na sexta-feira (21). Na ocasião, dos quatro homens, apenas um foi encaminhado ao presídio – Josué Ferreira Soares. Um dia depois, no entanto, o trio teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

Na madrugada de domingo (23), Joelson Ferreira Soares – irmão de Josué, se entregou à polícia. Ele também compareceu a delegacia na companhia de um advogado de defesa. Na ocasião, foi cumprido o mandado de prisão preventiva em nome dele.

Leia Mais – Governador Wilson Lima dá início a plano emergencial de recuperação da Rodovia AM-010

São suspeitos do crime:
  • Josué Ferreira Soares – Preso
  • Joelson Ferreira Soares – Preso
  • Charles Sanches Moraes – Preso
  • Marcley Moraes de Souza – Foragido

Um quinto suspeito, que não teve o nome divulgado, está foragido .

Em nota, o Tribunal de Justiça informou que a juíza Ana Paula Braga, no plantão de custódia, fez a análise dos autos relativo aos custodiados e, após analisar a conduta policial e prisão em flagrante dos quatro apresentados, entendeu que a um deles – Josué Ferreira Soares – se enquadrava em flagrante, o que levou ao relaxamento da prisão dos outros envolvidos.

Ainda segundo o Tribunal, na manhã de sábado (22), a Justiça concedeu pedido de prisão preventiva, solicitado pela polícia, e decretou a prisão de Joelson Ferreira Soares, Marcley Moraes de Souza e Charles Sanches Moraes. A decisão seguiu parecer do Ministério Público.

O crime

O sargento foi assassinado com dez tiros pelo corpo: um atingiu o queixo do PM, oito nas costas e um no tórax. Os suspeitos fugiram e levaram a arma do policial.