AFEAM: o cofre mágico dos Guerreiros

AFEAM, SEUS SOLDADOS, SEUS TRAIDORES E OS GUERREIROS

Nas lutas que a AFEAM tem enfrentado de 2002 até o inicio de 2018, é fácil saber quem está de um lado e de outro, quem são os soldados, os traidores e os Guerreiros.

Sim, meus caros leitores a AFEAM ao longo de história tem sido saqueada, e por mais incrível que possa parecer com a ajuda de alguns presidentes, diretores, gerentes, assessores, coordenadores e outros bajuladores, não bastasse os Guerreiros inimigos, que o diga os funcionários da AFEAM, verdadeiros soldados que não se vendem por qualquer função ou cargo de confiança, diferentemente daqueles que fazem parte do grupo de traidores que se venderam por promoções em prejuízo da AFEAM e seus funcionários.

Acompanhe o Blog do Pávulo no Facebook   Twitter  Instagram

PL de emenda à Loman que antecipa a eleição da Mesa Diretora é promulgado

Os Guerreiros e os traidores se aproveitando da AFEAM como podem e faz tempo, os Guerreiros conseguem financiamentos milionário e os traidores conseguem cargos com altos salários, e isso entre as administrações dos dois ex gestores já falecidos e dos dois ex gestores que foram e são vivíssimos. Atualmente a nova gestão da saqueada AFEAM, corre contra o tempo para rastrear as canetadas e cruzetas que permitiram práticas como as inúmeras composições de dívida, as substituições de garantias que atendiam somente os interesses dos Guerreiros e dos traidores, justamente os mesmos que querem voltar ao poder na AFEAM.

A verdade é que a AFEAM e os seus funcionários sempre acabaram derrotadas pelos Guerreiros e traidores, o que é fácil de entender, pois ambos sempre lesaram a AFEAM, uns levando milhões e outros levando cargos e funções tudo como recompensa pela boa execução dos trabalhos que atendiam os interesses dos Guerreiros e dos presidentes da AFEAM, como a emissão de pareceres que permitiram a substituição de garantias, a aceitação de avalistas como garantia financiamentos milionários e as avaliações fraudulentas que propiciaram a substituição de garantias que valiam muito por outras que não valem nada, além de muitas jogadas contábeis para manquear o balanço da AFEAM e ajudar os Guerreiros e traidores a fazer os outros pensar que tudo estava sob controle, o que não é verdade.

Entre as administrações do já falecido Evandor Geber e dos vivíssimos Alex Del Giglio, Douglas Mota Gonçalves e Wanderlan Marinho, não foram tomadas quaisquer providências para evitar ou reverter essa situação e os gerentes da cobrança Simone Amorim, de risco operacional Marcos Vinicius, de auditoria Cristina Coelho, de contabilidade Lina e de administração Aldamir Gadelha foram todos omissos e fizeram vista grossa diante de toda essa patifaria que custou mais de R$ 70.000.000,00 milhões de reais para a AFEAM, fora os cargos e funções para premiar Jacques Douglas, promovido a coordenador, gerente e diretor, Wanderlan Marinho, promovido a coordenador, gerente e diretor, Cristina Coelho, promovida a coordenadora e gerente, Marcos Vinicius, promovido a coordenador e gerente, Simone Amorim, promovida a coordenadora e gerente substituindo Jaquces Douglas e todos ficaram caladinhos para manter os cargos e funções que receberam como recompensa por suas ações ou omissões, inclusive no caso de Alex Del Giglio que por manter tudo inalterado e ainda promover Jacues Douglas e Wanderlan Marinho, contou com a omissão e conivência dos traidores da AFEAM para ilegalmente acumular salários.

Governador o senhor é o novo que a AFEAM esperava, essas pessoas não.

Por Celso Augusto