MP investiga a Sejel após atletas ficarem sem viajar para Abu Dhabi

Manaus – O convênio firmado entre o Ministério do Esporte e a Secretaria Estadual de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) para levar 66 atletas de jiu-jítsu para um torneio em Abu Dhabi está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), através da 13ª Promotoria de Justiça do Amazonas, especializada na defesa do patrimônio público. As informações são do blog Olhar Olímpico, do site UOL.

De acordo com o blog, diversos dos atletas que seriam beneficiados pelo convênio deixaram de viajar, enquanto que o secretário Fabrício Lima levou a mulher e as filhas – ele afirma que pagou pela viagem delas.

O Inquérito Civil foi apresentado pelo promotor público Leonardo Tupinamba do Valle. Há suspeita de superfaturamento e o próprio secretário admitiu que a assessora de imprensa da Sejel foi apresentada, no convênio firmado com o Ministério do Esporte, como sendo a fisioterapeuta da equipe.

“O Ministério Público precisa estar atento aos gastos realizados com dinheiro público, é necessário ser proativo na defesa dos interesses da coletividade. Ao instaurar o inquérito civil, esta promotoria, sem juízo da valor pré-estabelecido, tem o intuito de averiguar a destinação e o correto cumprimento dos convênios firmados pela Secretaria Estadual de Esportes”, afirmou o promotor.

Segundo o blog, a viagem para o torneio de Jiu-Jítsu de Abu Dhabi é o primeiro convênio aprovado pelo Ministério do Esporte desde o encerramento dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no ano passado.

LEIA MAIS PARA ENTENDER O TEMA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui